Polícia Civil prende suspeito de ter matado trabalhador rural em Lagoa Grande com vários golpes de facão

Motivação do crime seria uma conta de internet no valor de R$ 100.
Foto: Hilton/WebTV Lagoa Grande

A Polícia Civil (PC)  de Presidente Olegário com apoio da Delegacia de Paracatu prendeu, nesta sexta-feira (15), um jovem de 23 anos, natural de São João do Soter – MA- suspeito de matar um trabalhador rural, de 29 anos, com golpes de facão em Lagoa Grande, Noroeste de Minas.

O crime ocorreu na madrugada desta sexta-feira (15), na Rua Ad̩lio Canoa no bairro Planalto em Lagoa Grande. Jordenilson Nascimento da Silva, 29 anos, natural de Buriti РMA Рfoi morto com golpes de fac̣o.

De acordo com a ocorrência policial a vítima foi localizada no interior de sua residência já sem vida. No local foi encontrado um facão usado no crime, a vítima foi atingida com golpes na cabeça (no mínimo, quatro), mãos (inclusive, com dois dedos decepados) e em ambos os braços, o que indicava uma luta corporal entre os envolvidos.

A Polícia Militar isolou o local e acionou a perícia técnica da Polícia Civil, sendo localizado no bolso da vítima pelo menos R$ 702 em dinheiro. Após o trabalho de praxe o corpo de Jordenilson Nascimento da Silva, 29 anos, foi encaminhado para o Instituto Médico Legal – IML – de Patos de Minas, para necropsia.
A Prisão

Uma equipe da Polícia Civil de Presidente Olegário esteve no local e após saber que o suspeito do crime seria um colega da vítima, o qual havia mudado de Lagoa Grande – MG -, há meses para São Paulo -SP-, mas foi visto próximo a residência antes do crime.

Diante da informações a Polícia Civil apurou que o suspeito fugiu para a cidade de Patos de Minas e na sequência embarcou em um ônibus para Brasília – DF -.

Com o apoio da Delegacia da Polícia Civil de Paracatu o ônibus foi interceptado na BR -040 sentido Brasília -DF -, o suspeito foi localizado sentado numa poltrona. Ele foi preso e com ele a polícia apreendeu roupas suja de sangue e o celular da vítima; e confessou a autoria do crime aos policiais.

Segundo o delegado da Polícia Civil, Dr. Érico Rodovalho, o suspeito disse que a motivação seria uma conta de internet no valor de R$ 100. Ele relatou a Polícia Civil que a vítima estava o ameaçando devido a conta.

POHoje - Todos os direitos reservados - Desenvolvido por KAMP