Polícia Civil conclui inquérito e professora do Proinfância é indiciada por maus tratos

Professora foi afastada do Proinfância no bairro Saltador pela terceira vez. Defesa da professora diz que vai demonstrar sua inocência.
Aluno de 5 anos, disse que a professora agredia e jogava os trabalhinhos no lixo

A Polícia Civil de Presidente Olegário indiciou por maus tratos uma professora da rede municipal de ensino depois que uma mãe também professora denunciou o caso na polícia

A investigação criminal presidida pelo delegado Dr. Vinicius Volf Vaz começou no primeiro semestre quando foi feita a denuncia de uma suposta agressão a um menino de 3 anos, que ocorreu este ano, na Escola Municipal Valdir Pereira Araújo (Proinfância). Ocasião que foi feita uma ocorrência policial e exame de corpo delito.

Além desta denuncia, a professora tem uma sucessão de maus tratos em anos anteriores, que indica maus-tratos, concluiu  o inquérito.

Uma mãe que preferiu não identificar disse que só soube que o filho agredido depois que foi na delegacia prestar depoimento juntamente com o filho de 5 anos, sobre a agressão do colega de sala. “Os coleguinhas do meu filho disse que ele foi agredido pela professora, não criei filho para apanhar na escola não, quero Justiça” disse a mãe.

O aluno de 5 anos disse a reportagem que a professora dava tapa e jogava os trabalhinhos no lixo.

O inquérito ouviu cerca de 20 pessoas, entre mães, alunos e professores. O processo foi enviado para o Ministério Público com indiciamento da professora por maus tratos.

Conforme a prefeitura do município, a professora está afastada da sala de aula, sendo designada para outro setor do município. A Escola Municipal Valdir Pereira Araújo (Proinfância) atende atualmente cerca de crianças.

O procurador do município Dr. Antônio Simões disse que o afastamento da professora ocorreu depois que a Justiça revogou a liminar que concedeu a professora para voltar a sala de aula. “Caso a professora seja condenada ela poderá ser exonerada pelo município”, disse o procurador.

Caso a Justiça condene a professora, o crime de maus-tratos pode levar a detenção de dois meses a um ano. Como a vítima é menor de idade, a pena pode ser agravada em um terço.

Afastada três vezes

O afastamento da professora ocorreu por três veze. O primeiro ocorreu quando o município instaurou processo administrativo e a afastou por 30 dias. O segundo afastamento ocorreu após o Ministério Público abrir inquérito para investigar o caso e recomendar o afastamento.

Com abertura do inquérito a professora conseguiu uma liminar na Justiça e retornou a sala de aula. O terceiro afastamento ocorreu essa semana quando o município foi notificado pela Justiça que tinha revogado a liminar determinando o afastamento da professora até que o caso seja resolvido.

Ministério Público.

A Assessoria de Comunicação disse em nota que o Ministério  Público de Presidente Olegário prepara uma ação penal em desfavor da professora.

A defesa da professora

A defesa da professora emitiu uma nota. Leia abaixo:

“A professora, é servidora pública estável do Município de Presidente Olegário, Estado de Minas Gerais, nomeada em 14/03/2012, por meio da Portaria 20/2012, após aprovação em concurso público para o cargo de Professor PI. Nada obstante, trata-se de professora que conta com mais de 25 (vinte e cinco) anos de profissão em escolas municipais e estaduais.

É fato público e notório que a professora coleciona em suas quase três décadas de sala de aula, diversas homenagens e manifestas demonstrações de carinho por parte das centenas de alunos que já passaram por suas mãos.

Ao longo desse período não recebeu nenhuma advertência ou sequer foi processada.

Também é público e notório que trata-se de professora proativa em trazer benefícios à escola, sendo reconhecida como sinônimo de competência, lisura e experiência na área de atuação.

Quanto aos fatos que lhe são imputados, se alguma denúncia for apresentada pelo Ministério Público, iremos demonstrar a sua inocência durante a instrução processual.“

Atenciosamente

Advogados Paulla Mayra Cardoso Silva e Thiago Cordeiro Fávaro.

 

13 respostas

  1. Ela é professora do meu sobrinho e foi professora do meu marido….
    Meu marido fala que nunca teve uma professora tão boa…
    Quanto ao meu sobrinho essas três vezes que ela foi afastada ele ficou prejudicado pq p ensinar ela é ótima e quanto ter fama de ser brava… mais tem que ser mesmo pq essa sociedade está criando um bando de meninos mimados e sem educação… que pode bater num professor que n acontece nd

    1. Realmente tem muito adolescente mau criado,mas não é o caso dessa vez,são crianças de apenas quatro anos,seres inocentes,e ela apronta sempre são com crianças menores,agora quero ver ela agredir é um menino de 15 anos,aí sim te darei razão.

  2. Se foi indiciada e porque tem provas robustas parabens a estas maes que denuciaram e policia civil pelo trabalho investigativo q mostrou as acoes da agressora q sempre foi camuflado por diretores e secretarios e prefeitos.

  3. O que mais me preocupa é isso mesmo,a quanto tempo isto ocorre e ninguem fazia nada,não se manifestava,com certeza tem muita gente omissa nesses anos todos.Outro fato,essa mulher,pq pra mim é uma ofensa aos demais ser chamada de professora,tem um cargo contrato e outro efetivo na prefeitura;é um absurdo continuar no cargo contrato!!!

  4. Pessoal quando for reclamar de algum funcionario,devemos fazer por escrita em duas vias e entregar para o responsavel da instituição e pedir para assina-la e guardar uma via;reclamar de boca nada tem valor,perante a lei!!!!

  5. As escolas tinha q ser todas militares,para q os alunos aprendem a da valores nas coisas e na vida,por isso q o Brasil é um ninho de marginais, educação fraca, crianças sem limites,sem ouvidos,não pode fazer nada.tudo q se faz é errado,se altera a voz e crime,chama a atenção e agressão, falar a eleverdade é preconceito, esse pais tem os direitos invertidos, onde um um professor age com mais rigor ele é agressor,onde um aluno mata um professor e ele está certo.
    Onde um PM atira num vagabundo a PM está errado,se ele é alvejado e morto o marginal está certo….
    Me desculpem mas muitos adolescentes e crianças, estão tendo péssimo exemplo……
    Nossas crianças são o futuro, crianças com educação rígida e honesta, para que no futuro teremos ótimos gestores, sabendo o q e certo ou errado…….
    Diretos humanos esterco da vagabundagem….
    Deus abençoe a todos….

    1. Verdade…
      Me lembro q quando estudava bastava um olhar da professora p ficar com medo e ficar quieta hoje em dia eles q mandam na sala de aula…

  6. Existem excelentes profissionais na educação em PO. Mas existem alguns que estão na profissão errada. Trabalhar com crianças tem que gostar. Ter o dom! No caso dessa professora, ñ serve pra trabalhar nem com animais. Conheço a mãe que denunciou. E a criança ñ é do tipo que toca terror ñ. É criança educada. E a criança foi agredida fisicamente. Criança de 3 anos. Isso é um absurdo. E o delegado ouviu 10 crianças q contaram que eram agredidas. Imagina quantas crianças já sofreram nas mãos dela!

  7. Ñ sei de quem se trata. Mas de qualquer forma acho errado. Apesar q as crianças estão muito levadas. Mas nao da o direito de ser mal tratada e agredida por uma professora. Para todas as áreas os profissionais tem q ter perfil. Desde um simples varredor de rua até um doutor. Principalmente na educação e na saúde. Aguem tem q ter coragem e Tomar atitude. Eu fui consulta com a dotora Ellen e se quer ela perguntou o q estava sentindo. Simplesmente falou q ñ olhava exames no pronto socorro. Sendo exame q ela mesma pediu. Eu estava com infeção urinária sou cardiopata, diabética, hipertensão e com quadro de vesícula calculosa. Sentindo dores e pressão alta. voltei p casa sem atendimento. Denuncie nos direitos humanos e o caso ja esta no fórum. Pois várias pessoas ja foram mal atendida por ela. Vamos lutar pelos nossos direitos. Tem muitos profissionais bons. Mas tem uns q ñ tem perfil mesmo. Ñ serve nem p domar animais selvagens . Parabéns pra quem tem coragem de tomar atitudes e se identificar.

    1. Joana;tambem,fui super mal tratada por ela,inclusive nunca sofri tanto descaso num atendimento,mas insistem em deixar só gente ruim!!!!!Essa médica Ellen é formada na Bolivia,com tantas faculdades no Brasil foi pra outro país,já não é bom sinal!!!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Leia Também

POHoje - Todos os direitos reservados - Desenvolvido por KAMP