Vacinas estão em falta em Presidente Olegário por falta de repasses do Ministério da Saúde, diz prefeitura

A aplicação da vacina pentavalente está em falta em todo o município de Presidente Olegário devido a falta de repasse das doses pelo Ministério da Saúde e Secretaria de Estado da Saúde d de Minas Gerais. O estoque das Unidades Básicas de Saúde – UBS – de todo o país foram recolhidos pelo Ministério da Saúde.

A vacina que fornecida pelo Sistema Único de Saúde – SUS – é indicada para bebês a partir de dois anos, a pentavalente é usada na imunização contra difteria, tétano, coqueluche, hepatite B e hemófilo B.

A Prefeitura de Presidente Olegário, informou que aguarda as doses da vacina, fornecidas pelo Ministério da Saúde e repassado pelo Governo de Minas, para abastecer as UBSs. No site da Prefeitura há um comunicado que a população será informada assim que a imunização for restabelecida. Não há uma previsão de quando as doses cheguem no município.

O comunicado diz que a Prefeitura de Presidente Olegário reforça que os profissionais de saúde da rede municipal que atuam diretamente nas salas de vacinas estão orientados a anotar os dados dos pacientes que procurarem a unidades. Assim, quando os estoques forem reabastecidos, os agentes de saúde entrarão em contato avisando da disponibilidade da vacina.

PUBLICIDADE

Ministério da Saúde

O Ministério da Saúde informou que os lotes mais recentes da pentavalente recebidos foram reprovados pelo Instituto Nacional de Controle de Qualidade em Saúde (INCQS) e pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) e solicitou a não distribuição das doses e exigiu a substituição dos lotes à Organização Pan-Americana da Saúde (Opas).

Leia a nota do Ministério da Saúde na íntegra

Para ofertar a pentavalente no calendário de vacinação do SUS, o Brasil compra a vacina via Fundo Estratégico da Organização Pan-Americana da Saúde (Opas), uma vez que não existe laboratório produtor no país. O fundo possui fornecedores pré-qualificados pela Organização Mundial de Saúde (OMS), que assegura que produtos sejam consistentemente produzidos e controlados de acordo com padrões de qualidade apropriados para o uso pretendido, atendendo especificações previamente estabelecidas. Antes de serem distribuídos para a população, ainda, as vacinas passam por uma análise do Instituto Nacional de Controle de Qualidade em Saúde (INCQS).

Os lotes mais recentes da pentavalente recebidos do laboratório Biologicals E Limeted India foram reprovados pelo INCQS e Anvisa. A fim de evitar um possível desabastecimento, o Ministério da Saúde solicitou a substituição à Opas e, desde o dia 11/7, já encaminha aos estados 437,7 mil doses da vacina pentavalente do laboratório Serum Índian, buscando a regularização dos estoques em todo o país. Não há previsão de recebimento de outros lotes do laboratório Biologicals E Limeted India.

O Fundo Estratégico da Opas/OMS busca facilitar a compra, a preços mais baixos, de insumos de alta qualidade para o Brasil e outros países e territórios das Américas. Criado em 2000, esse mecanismo auxilia os Estados Membros com informações sobre propriedade intelectual e valores, além de gerar economia para os cofres públicos.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *