Jogo”Baleia Azul: Delegado da Polícia Civil orienta família a observar adolescentes e crianças

Em Minas Gerais Polícia Civil investiga se a morte de jovem de 19 anos, está ligada ao jogo. Projeto de Lei quer punição e proibição do jogo.
Delegado de Presidente Olegário, Dr. Vinicius Volf Vaz
Delegado de Presidente Olegário, Dr. Vinicius Volf Vaz

Para o delegado da Polícia Civil, Dr. Vinicius Volf Vaz, a Polícia Civil de Minas o jogo da “Baleia azul” é preocupante embora nas cidades que pertence a delegacia de Presidente Olegário, Lagoa Grande e Lagamar não tem nenhum registro a fatos ligados ao jogo.

A Polícia Civil divulga orientações aos pais e aos adultos em geral para evitar que crianças e adolescentes estejam expostos a crimes via ambiente virtual.

Segundo o delegado em Minas Gerais a Polícia Civil está em investigando um caso de suposto suicídio de um jovem de 19 anos na cidade de Pará de Minas, centro-oeste do Estado, supostamente ligado ao jogo “Baleia Azul”.

O jogo  “Baleia azul’, que se tornou motivo de preocupação em diferentes países, consiste em uma série de 50 desafios diários enviados ao participante por um “curador”. Há desde tarefas simples como desenhar uma baleia azul numa folha de papel até outras muito mais mórbidas, como cortar os lábios ou furar a palma da mão diversas vezes. Como desafio final, o jogador deve se matar” explicou o delegado Dr. Vinicius Volf Vaz.

Foro: Reprodução G1
Foro: Reprodução G1

Origem e Efeitos: 

O jogo começou na Rússia. No Brasil neste mês de abril, relatos de suicídios e de tentativas levaram à abertura de investigações em diversos estados, inclusive Minas Gerais.

Dicas para os pais da Polícia Civil

– Manter a proximidade com os filhos, sobrinhos e alunos é essencial. Dessa forma, é possível conhecer mais sobre amigos, lazer e atividades sociais de interesse;
РTer acesso a redes sociais para verificar o tipo de assunto que a crian̤a ou o adolescente aborda ou compartilha entre os amigos;
– Importante se inteirar da rotina e ficar atento a qualquer alteração de comportamento deles. Mudanças de estilo de roupas e hábitos, por exemplo, são um indicativo de alerta;
– É fundamental que a família e a escola realizem atividades que despertem o interesse no jovem acerca do futuro dele, que estimulem a autoestima e o que planeja para a vida;
– Promover sempre um diálogo aberto com orientações e informações sobre os riscos de eventuais crimes pela internet, ressaltando que podem vir mascarados de entretenimento e sedução para algo interessante e que, na verdade, pode ser uma grande armadilha;
– A relação de confiança criada com os pais é imprescindível para que o adolescente possa relatar qualquer coisa diferente que tenha ocorrido em sua rotina, sem temer a punição.

Denúncias

Para denuncia casos ligados ao jogo “Baleia Azul” em Presidente Olegário, Lagoa Grande e Lagamar ligue 3811 12 27 ou no 181 -Disque Denúncia.

Punição e mudança na Lei
Pena para quem induz ou instiga o suicídio poderá responder pelo crime previsto no artigo 122 do Código Penal, pena de 02 a 06 anos de reclusão, se o suicídio se consuma, ou 01 a 03 anos se da tentativa de suicídio resultar lesão de natureza grave. Além do mais, a pena poderá ser duplicada se praticado por motivo egoístico ou se a vítima for menor de 18 anos.

Pena mais dura

O deputado federal Vitor Valim (PMDB-CE) entrou com projeto de lei 7047/17, que proíbe a comercialização e a disponibilização na internet de softwares, aplicativos ou jogos que promovam ou incentivem desafios de tortura ou suicídio. O parlamentar, pensando em acabar com essa prática e punir quem contribui com esses atos.

De acordo com o projeto as pessoas podem ser enquadrados no crime que tipifica o induzimento ao suicídio, à lesão corporal e ameaça. Os crimes podem chegar a 40 anos de reclusão.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Leia Também

POHoje - Todos os direitos reservados - Desenvolvido por KAMP