Assassino de jovem pega 12 anos de prisão e revolta familiares da vítima

Ele não deu facadas não só no meu filho único e sim em toda a família
“Ele não deu facadas não só no meu filho único e sim em toda a família” disse a mãe do jovem Oscar.

O júri popular formado por sete homens condenou nesta quarta-feira (10), no Fórum Presidente Olegário, o réu João Batista de Freitas “João Doido” a 12 anos pelo assassinato do jovem Oscar Wilson dos Santos Soares de 23 anos.

João Doido foi condenado em regime fechado por homicídio qualificado por motivo fútil. A sentença foi proferida pela juíza Grazziela Maria de Queiroz Franco Peixoto que presidiu o júri.

O advogado Thadeu Henrique, que representa o autor não informou se irá recorrer da condenação. O promotor Luiz Felipe Leitão afirmou que pediu a condenação por homicídio qualificado e disse se vai recorrer da sentença.

O assassinato de Oscar aconteceu na Rua Governador Israel Pinheiro, no Bairro Planalto, com quatro facadas na cabeça, nove na barriga e no peito e duas nas costas no dia 19 de agosto de 2013.

--- Continua depois da publicidade ---

João Doido réu confesso esta preso desde a data do crime, disse que estava caminhando pela rua quando foi abordado por Oscar, que lhe pediu R$ 10,00. Como negou dar o dinheiro, João Batista disse que foi agredido com socos no rosto. Irritado, o autor teria corrido para casa, pegado uma faca e acertado as contas de Oscar.

Familiares e amigos de Oscar acompanharam o julgamento com camisetas com a foto de Oscar com dizeres “A Justiça de Deus não falha” saíram revoltados com condenação de João Doido de 12 anos.

Patricia Santos, mãe do jovem assassinado bastante abalada comentou a decisão da sentença. “Ele não deu facadas não só no meu filho único e sim em toda a família, a pena foi muito branda ele merecia uma pena maior” declarou a mãe emocionada.

Dona Patrícia ainda disse que este ano eleitoral seria bom que todos refletissem porque em quem votar porque as leis estão erradas e temos que mudar isso “Ele pegou 12  anos daqui uns dias está na rua pronto pra outra e ainda pior receberá pensão por está preso e as famílias das vitimas por todo este país não estão amparadas em nenhum sentido pelo Estado” desabafou.

No dia 18 de setembro, 9h00, sentará no banco dos réus Salvador Basílio de Brito e Matheus Gomes Mundin Araújo, eles são acusados de matar Marcos Queiroz Caixeta “Marquinho Queiroz” com quatro tiros na cidade de Lagoa Grande, no dia 25 de junho de 2013.

João Doido
João Doido

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Cofe