Nenhuma escola da rede estadual terá ensino integral em Presidente Olegário, após corte de Zema

Alunos da Escola Estadual Tonico Batista
Alunos da Escola Estadual Tonico Batista

Quatro escolas da rede estadual de ensino de Presidente Olegário teve as aulas em tempo integral suspensas pela Secretaria de Estado de Educação de Minas Gerais (SEE-MG). A Educação em Tempo Integral será mantida em escolas de comunidades mais carentes e necessitadas em todo o Estado.

Em todo o Estado, o número de escolas com turmas de tempo integral passou de 1.600 para 500 escolas. A determinação partiu do governador Romeu Zema (Novo), visando o corte de gastos devido à situação financeira do Estado. O governo se manifestou (Veja a nota abaixo).

Em Presidente Olegário, nenhuma das quatro escolas da rede estadual não terá o tempo integral. São 315 estudantes prejudicados e 31 servidores sem emprego.

A Escola Estadual Tonico Batista o número de alunos atingidos é 105 e 10 servidores. Na Escola E. Farnese Maciel  (100 alunos e 10 funcionários); Escola Padre José Andre Caldeira Coimbra (60 alunos e 6 servidores). A escola do Distrito de Ponte Firme, Escola Estadual de Ponte Firme são 50 estudantes e 5 servidores prejudicados.

Tempo Integral na rede municipal

A Escola Municipal Girlene Graçano no bairro Mateus Caixeta em Presidente Olegário oferece o ensino para 50 alunos. A direção da escola informou que não têm mais vaga para o programa.

O outro lado

Por meio de nota, o governo de Minas Gerais manifestou:

A Secretaria de Estado de Educação (SEE) informa que mesmo diante da extrema precariedade da situação financeira do Governo de Minas Gerais garantirá a realização da Educação Integral e Integrada em 2019. O programa será desenvolvido em 500 escolas estaduais, que atenderão cerca de 30 mil estudantes do Ensino Fundamental. As escolas contempladas são aquelas que apresentaram situação de vulnerabilidade social e que já ofertavam a Educação Integral e Integrada em anos anteriores. A SEE irá divulgar em breve informações e o cronograma da Educação em Tempo Integral no Ensino Fundamental.

A secretária de Estado de Educação, Julia Sant’Anna, afirmou que a manutenção do programa deve ser feita de forma responsável e continua. Ela ressaltou a importância social das atividades complementares da Educação em Tempo Integral e que as escolas atendidas são de comunidades mais carentes e necessitadas em todo o Estado. 

Vale ressaltar que as turmas ainda estão sendo montadas e, a partir disso, será feito um levantamento para apontar a quantidade de professores necessários para a realização da Educação Integral e Integrada em 2019. A designação será feita a partir da demanda de alunos e enturmação em cada unidade de ensino, para início da modalidade no dia 6 de maio. Em 2018, a educação integral foi ofertada em 1.640 escolas e atendeu a 111.528 alunos.

2 comentários em “Nenhuma escola da rede estadual terá ensino integral em Presidente Olegário, após corte de Zema

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *