Governo de Minas poderá fechar a Escola Estadual Tonico Batista

O Governo de Minas através da Secretaria Estadual de Educação (SEE-MG), deverá fechar  no final deste ano, a Escola Estadual Tonico Batista de Presidente Olegário.

Além da escola Tonico Batista em Presidente Olegário outras escolas da região também poderão serem fechadas pelo Governo de Minas. Entre elas a escola Polivalente em Patos de Minas, Escola Estadual Professor Manoel Lopes no Distrito de Pindaíbas, município de Patos de Minas e Escola Estadual Dom Bosco no município de Lagamar.

A informação foi divulgada pela ex-superintendente de ensino de Patos de Minas, Elizabeth Nascimento ao deixar o cargo que foi assumido pelo professor Carlos José Coimbra.

Elizabeth Nascimento disse ao Pohoje que foi feito um estudo na sua gestão a pedido da Secretaria de Estado da Educação sobre a possibilidade de junção e fechamento de escolas na região devido o número baixo de alunos. “A análise foi feita e encaminhada para a secretaria de Estado da Educação que definirá sobre a junção e fechamento das escolas” disse Elizabeth Nascimento.

Caso o fechamento da escola Tonico Batista seja concretizado os 110 alunos serão transferidos para a Escola Estadual Farnese Maciel. O Pohoje entrou em contato com o novo superintendente de Ensino, Carlos José Coimbra e aguarda uma posição.

Escola Estadual Tonico Batista

A escola foi instalada em prédio cedido, situado à Rua Felisberto Fonseca (antiga casa onde hoje é o Supermercado Santo Antônio), depois funcionou na Rua Ilídio Araújo e só em 1982 é que um novo prédio foi construído na Rua Severino Mendes, 400, para atender a demanda de matrícula que da Escola Estadual Farnese Maciel que já não atendia a demanda.

O ato de criação foi efetuado através do nº 8.172 de 1965, pelo governador Magalhães Pinto como Escola Estadual Tonico Batista. Foi designada a professora Maria de Lourdes Pinheiro para dirigir o educandário que iniciou com oito classes de primeiro grau. As primeiras professoras da escola foram Maria Elisa Nogueira de Castilho, Sônia Garcia, Terezinha Araújo e Dona Elzi.

O nome de Escola Estadual Tonico Batista foi escolhido pelo prefeito Sebastião de Freitas.  O nome do homenageado era Antônio Batista Marra, mas era conhecido como Tonico Batista era comerciante e produtor rural.

Em 1985, a escola contava com 20 turmas, funcionando em três turnos diurnos e um noturno com o mobral. As turmas funcionavam em salas cedidas e alugadas. Com estas turmas, nasce a Escola Estadual do Bairro Planalto (hoje a Escola Municipal Carmem Celina), para atender o fluxo de matricula, sempre crescente, que funciona também sob a direção de Dulcelina Corrêa Silveira, com a ajuda de seu secretário Prof. Antônio Miguel de Amorim, até o final de 1º semestre de 1987.

As escolas foram desmembradas e a direção da Escola do Planalto passou para a professora Nadir Ferreira de Freitas Marra. Dulcelina permaneceu na E.E. Tonico Batista até 14/02/2000, quando se aposentou.

Também foram diretores do Tonico Batista, Antônio Pinheiro Queiroz, Eva Maria de Lima Benz, Maria José Pinheiro Marra,  Antônio Miguel de Amorim, Denise Queiroz, Janaína Amaral, Maria Eliza, Etelvina Ribeiro e Delma Batista.

No decorrer desses 54 anos, inúmeros e importantes fatos ocorreu relacionados à Escola Estadual Tonico Batista, que sempre esteve presente nos desfiles, mobilizações sociais, formação de milhares de estudantes outras causas consideradas nobres pela sociedade olegarense.

A escola conta hoje com cinco salas de aula, uma biblioteca, sala de computação, sala de professores, salas para área administrativa e serviços. Tem aproximadamente 110 estudantes dos anos iniciais do Ensino Fundamental.

3 comentários em “Governo de Minas poderá fechar a Escola Estadual Tonico Batista

  1. Triste, essa notícia. Eu morava próximo desta escola e fui testemunha de sua importância, apesar de já estudar no Farnese Maciel. Em frente à escola ficava o campo de futebol, onde jogava o Andorinha Esporte Clube e também onde se armavam circos e parques de diversão muito comuns naquela época (1969 – 1975). Esse local faz parte da história de muitas pessoas e deveria ser preservado.

    1. Também eu vivi esta época.
      Local hoje ocupado pela prefeitura
      Municipal.
      Prédio da escola, hoje oficina da prefeitura.
      Saudades daquela época.

      Estamos velhos.

  2. A informação que corre no caso do colégio Polivalente é, que será feito a troca entre colégios, Tiradentes irá pra onde é o Polivalente, e o Polivalente irá pra onde é o Tiradentes.

    Estudei do pré-escolar até quarto ano do primário no Tonico Batisa, entre 87 a 91, sem dúvida muitas boas lembranças dessa época. Mas hoje, a escola recebe um número menor de alunos que já recebeu em outras épocas.

    Mas vemos hoje muitos jovens indo buscar estudo em nível técnico e superior em outras cidades, aumentando o custo de estudo. Quem sabe que repensam sobre a destinação do Tonico Batista, e transformem a escola num colégio pra curso técnico ou superior. Os valores que são gastos em outras cidades, seriam gostos aqui, seria muito bom pra cidade!!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *