Cultivando Amor’: Casa de Apoio de Presidente Olegário em Barretos faz parceria para receber doações a partir da compra de potássio brasileiro por agricultores

Iniciativa da empresa Verde Agritech, destina parte do faturamento com a venda de fertilizantes para a entidade.
Casa de Apoio Vovô Joaquim Fazenda e Vovó Mafalda
Casa de Apoio Vovô Joaquim Fazenda e Vovó Mafalda

A Comissão Direito de Viver, de Presidente Olegário, em Minas Gerais, é uma das instituições beneficiadas pelo projeto Cultivando Amor, — iniciativa da empresa Verde Agritech que conecta agricultores da cidade à entidade por meio de uma parceria com o Sindicato Rural. Toda vez que um agricultor do município compra o potássio sem cloro, o K Forte®, parte do faturamento é reservado e depois destinado para a instituição, que foi escolhida pelo Sindicato.

A entidade nasceu com a missão de apoiar as pessoas que saem de Presidente Olegário para fazer tratamento oncológico em Barretos, interior de São Paulo. “Nós sentimos a necessidade de fazer alguma coisa para dar suporte a comunidade”, afirma Jacqueline Piau Coelho, presidente da Comissão Direito de Viver. 

Os integrantes da Comissão criaram então a Casa de Apoio Vovô Joaquim Fazenda e Vovó Mafalda para atender a população olegarense em Barretos. “Antigamente, após a realização das consultas, por exemplo, as pessoas ficavam na rua, aguardando a ambulância voltar para buscá-las, porque não tinham condições de pagar um hotel”, relembra. 

O espaço comporta até 30 pessoas, entre pacientes e acompanhantes. A estadia é gratuita, mantida por meio de convênio com a Prefeitura de Presidente Olegário e doações. A verba repassada pela administração municipal é utilizada para realizar o pagamento do aluguel do imóvel, água, energia elétrica, internet, materiais de limpeza e o gás. Já a organização e manutenção é de responsabilidade da Comissão Direito de Viver, que realiza eventos e parcerias com instituições privadas. 

“Para continuar com o projeto, parcerias como essa que firmamos com a Verde Agritech são fundamentais e contribuem para que o nosso trabalho continue”, reforça Jacqueline. 

O presidente do Sindicato Rural de Presidente Olegário, Paulo Tolentino acredita que a iniciativa será extremamente positiva para toda a comunidade. “Costumo dizer que o negócio tem que ser bom para todos os envolvidos. No caso da parceria com o Cultivando Amor, é vantajoso tanto para os nossos produtores da cidade, que terão acesso a um produto de qualidade e ainda ajudarão uma instituição filantrópica, quanto para a entidade que receberá o recurso”. 

Criado em 2020, o ‘Cultivando Amor’ beneficia iniciativas sociais, como a Comissão Direito de Viver, em 16 cidades brasileiras e tem como meta chegar a cem municípios até o fim de 2022. No ano passado, mais de R$ 270 mil foram arrecadados, com os repasses sendo realizados nos últimos meses. 

Em abril de 2022, três cidades mineiras receberam R$ 148,7 mil, beneficiando o Hospital do Câncer de Patrocínio, a APAE de Rio Paranaíba e a Santa Casa de São Gotardo. Já em maio, outras duas cidades de Goiás receberam R$ 111,7 mil, destinados para o Hospital do Câncer de Rio Verde e para a APAE de Cristalina. 

“O propósito da Verde Agritech é melhorar a saúde de todas as pessoas e do planeta”, comenta Cristiano Veloso, CEO da Verde Agritech. “O Cultivando Amor é um instrumento que permite ao agricultor, herói brasileiro que todos os anos se arrisca à produção de alimentos, contribuir para o desenvolvimento social da comunidade em que ele atua”, completa.

O fertilizante da Verde Agritech é a base de potássio sem cloro, diferentemente do cloreto de potássio importado. Ele é fabricado de forma sustentável, sem uso de produtos químicos, em Matutina e São Gotardo, no interior de Minas Gerais.

“Aqui no Brasil, é cada vez maior a adesão dos agricultores brasileiros a sistemas sustentáveis de produção, com uso do potássio livre de cloro, porque ele ajuda a manter a microbiota do solo, favorecendo a produção de alimentos mais nutritivos e reduzindo custos de produção”, explica Alysson Paolinelli, engenheiro agrônomo e ex-ministro da agricultura.

De liberação gradual, o potássio sem cloro é utilizado na agricultura há mais de duzentos anos, mas era pouco conhecido no Brasil até o fim da década passada. Para produzir o fertilizante no país a Verde Agritech já investiu mais de meio bilhão de reais. 

Para conhecer melhor o produto que destina parte do recurso para entidades indicadas pelos sindicatos e associações rurais de cada cidade, toda terça-feira, 17h30, agricultores podem participar de um encontro online com o Gerente Técnico da Verde Agritec, Rodrigo Mac Load. No encontro com o especialista os agricultores serão apresentados ao adubo sustentável, e ainda poderão conversar e tirar as suas dúvidas. Clique aqui e participe.

Fonte: Assessoria de Imprensa Verde Agritech

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

POHoje - Todos os direitos reservados - Desenvolvido por KAMP